Results tagged “Mário”

Raquel, páginas 10 e 11




Página 10
Raquel: Logo chegamos ao campus
Raquel: Grande...
Raquel: Arborizado, com vários prédios espalhados entre o verde....
Raquel: Tudo parecia lindo, novo e perfeito.
Raquel: Como nunca tinha ouvido falar daqui antes??
Mário: Chegamos no conjunto residencial... Vocês descem aqui.
Mário: Peguem as chaves dos seus alojamentos, guardem a bagagem no quarto de vocês...
Página 11
Mário: "...daqui meia hora um guia os levará para conhecer todo o campus.
Mário: Bom dia e até mais tarde."
Raquel: E assim como chegou...
Raquel: ...ele se vai
Raquel: Soltando três estudantes numa terra estranha...

A história até agora: Raquel está em um ônibus, relembrando a misteriosa carta que a leva até a cidadezinha de Gádira, onde fica a misteriosa "Universidade O.M.N.I."
Chegando na cidade, ela e outros jovens são recebidos por Mário, que se diz funcionário da Universidade e os leva até lá...

(Raquel é uma história em quadrinhos, escrita por mim e desenhada pelo Miguel Jacob. É o "remake" de uma história que já fiz mais de uma vez, mas dessa vez pretendo que seja a definitiva :))

Um dos sites em que publico as tirinhas em inglês, o The Duck (tá, esse "o" ficou estranho, já que a tradução fica "o O Pato", é tipo falar que "sou rápido como o The Flash"...) elegeu Mushiíces como a "melhor tirinha com protagonistas crianças". Eu to besta até agora com isso *-*

Por sinal, no longínquo ano de 2001 (ninguém aqui era nascido ainda :P) a votação em um site me colocou em 3º lugar como melhor roteirista e melhor HQ online (Raquel, em sua segunda encarnação). Fazendo as contas rapidinho, ambas as votações deviam ter só três candidatos, mas ser citado em tempos pré-rede sociais já foi uma vitória imensa. Tanto que demorei quatro anos para descobrir que existiu essa votação o.o'

Fim do ano passado, li uma série de livros, a trilogia WondLa (preciso resenhar), escrita e ilustrada por um dos melhores desenhistas que conheço, Tony DiTerlizzi. Confesso que comprei sem esperar muito, afinal, era um desenhista escrevendo, e a série me surpreendeu positivamente: tem alguns problemas por ser escritor iniciante, mas construção de mundo, personagens, etc, muito bem feitos. E, depois de ter lido os três livros, soube que a cada livro lançado, ele tinha feito um livretinho com rascunhos dos personagens, lugares etc. Claro que eu quis! Mas não achei a venda em canto nenhum da internet.... e acabei perguntando pro próprio autor como conseguir.
Não é que ele me manda os livretos autografados??? :D Isso fez meu dia por vários dias seguidos :DDD

Na medida que acho legal que um autor é atencioso com seu público, é triste como várias séries legais (de livros, de HQs, de desenhos animados, seriados etc) não tem o devido reconhecimento. Não precisam estourar como Harry Potter ou Jogos Vorazes, mas seria mais justo se mais gente conhecesse ao menos. Eu que não consumo muitos livros/HQs porque sou lerda pra ler conheço várias pérolas que pouca gente ouviu falar, tipo WondLa mesmo, ou a brasileira Rani do Jim Anotsu. =/

1) Falando em WondLa, fiz uma fanart da personam principal da série, Eva Nove, para agradecer os livretos. A arte simplezinha está aqui ^^
2) Ano passado encomendei uma estátua de Raquel e Catarina pela pra lá de talentosa MDDragons. Estes dias ela postou no facebook mais fotos das duas prontas (com direito a link para as minhas histórias). Vão lá e prestigiem o trabalho dela :D
Por sinal, se quiserem conferir Klara e Maria por ela, livremente inspirado nesse desenho meu, entrem aqui :D


3) no meu blog fiz uma postagem falando basicamente que é "raro menino arriscar usar algo feminino, quando as meninas praticamente não tem neurose quanto a isso"
4) também no blog outra postagem em cima dessa pixação que vi na Paulista, ano passado:

...óbvio que concordo, e muito, com a frase ò_ó
5) e, pra finalizar, fiz a resenha de três HQs (além de por uma lista parcial dos livros que andei comprando e lendo):

• a curtíssima Culpa, da citada acima Cristina Eiko.
Nimona, da gringa Noelle Stevenson e
American Flagg!, de Howard Chaykin.

Ei, quer receber tirinhas e páginas de Raquel no conforto do teu e-mail, muito antes de eu publicar no site? Cliquem aqui e preencham este formulário :D

Raquel, páginas 7 e 8




Página 7
Raquel: "...que venha o primeiro fantasma!"
Mário: Olá, vocês são Raquel Cortez, Jamil Pedro e Rodrigo Mello?
Mário: Meu nome é Mário, da universidade O.M.N.I. e vim busca-los.
Mário: entrem!
Raquel: "buuuuuu"
Página 8
Raquel: "Ninguém soltou um pio durante o trajeto..."
Raquel: "e, em nenhum momento...
Raquel: "...o funcionário da Universidade tirou aquele sorriso esquisito da cara..."

A história até agora: Raquel está em um ônibus, relembrando a misteriosa carta que a leva até a cidadezinha de Gádira, onde fica a misteriosa "Universidade O.M.N.I."
Chegando lá, ela pensa "me sinto nas portas de um trem fantasma", ela pensa antes de descer do ônibus....

Para quem chegou agora: Raquel é uma história em quadrinhos, escrita por mim e desenhada pelo Miguel Jacob. É o "remake" de uma história que já fiz mais de uma vez, mas dessa vez pretendo que seja a definitiva :)

O texto a seguir veio da minha última newsletter e achei melhor colocar aqui também:


Bom, enquanto Raquel está indo conhecer para sua futura universidade, está rodando por aí no mundo real uma proposta medonha de cobrar mensalidade nas universidades públicas. Pior é que esse governo federal tem uma proposta medonha atrás da outra num ritmo tão grande que já estamos ficando anestesiados e não ligamos mais, ainda mais com os meios de comunicação dizendo "amém".
Mas acho bom a gente sair da letargia e ir correr atrás do contrapontos ao que enfiam goela abaixo na gente e repassar para as pessoas.
"Ah, mas eu não faço universidade pública e nem conheço ninguém que faça", ok, sorte tua, mas não é porque você não vai perder direitos que não devia ser importar com isso. Outras pessoas vão perder direitos, muitas pessoas vão perder direitos, uma parcela enorme da sociedade vai perder direitos só com a cobrança de mensalidade, isso deveria incomodar qualquer um que se ache digno de dizer que é gente.

Fora que perda de direitos, assim como doenças terminais, vem sempre assim: pelas bordas, com sintomas que achamos bobos demais pra gente ir pro médico...

Enfim, deixa eu por links para não transformar aqui em textão, ficando a critério de cada um clicar nos links e ler (e, quiçá, repassar), ou não :P


1) O professor Cleber Haubrics, do IFRJ, explica sobre por que a universidade pública deve ser gratuita:

"Mais de 90% dos estudantes das Universidades Federais não poderiam pagar mensalidades caso a universidade deixasse de ser gratuita"


2) Quem apoia a cobrança de matrículas geralmente invoca um relatório do Banco Mundial, que não é exatamente a entidade mais isenta do mundo. Aqui tem um fio de tweets dando contraponto, com tabelas e links para mais estudos (pra quem gosta de ler mais que eu ainda)(como se fosse difícil isso....)
"Relevantes críticas ao recente relatório do banco mundial tem surgido desde a sua divulgação. Uma delas vem de dois economistas da UFBA, profundos conhecedores da realidade das universidades públicas"


3) Dona namorada, aquela maluca que me namora e ainda por cima encara doutorado (tá na reta final, a fase em que surtar se torna um modo de vida), colocou a opinião dela, baseada na convivência dela com o meio universitário. Cliquem aqui e vão lendo ^^
"Logo não teremos profissionais de qualidade formados no Brasil, eu acho. Vamos voltar pro século passado, em que os ricos mandavam seus filhos pra "Europa" pra estudar. Mas a gente quer massa de trabalho, não precisa ter boa formação, né?? Precisa saber fazer"

Ei, quer receber tirinhas e páginas de Raquel no conforto do teu e-mail, muito antes de eu publicar no site? Cliquem aqui e preencham este formulário :D

Raquel (fanzine #3), página 5


Transcrição:

Mário: desde o meu primeiro dia em meu cargo
Mário: eu nunca cometi esse tipo de erro
(mulher): cargo muito disputado, por sinal e... ouvi rumores por aí...
(mulher): bom, eu tomaria cuidado com os esqueletos de teu armário.
Mário: todos temos os nossos, não?
(mulher): certamente.
(mulher): amanhã trago a nova aluna.
(mulher): passar bem.
Mário: não são exatamente esqueletos...


A história até agora: Raquel é uma universitária normal que passou em universidade nenhuma, exceto na O.M.N.I., que ela não se lembra de ter feito prova para entrar. Curiosa, foi até lá e coisas estranhas começam a acontecer....

Pra quem chegou agora (e desmemoriados em geral): Raquel é uma personagem antiga minha, que teve fanzine, depois rebootei a série quando a moda eram HQs em flash, depois fiz mais dois outros reboots. Pretendo colocar todo esse material no site das tirinhas, mas esse é um trabalho lento e devagarzinho estou 'remasterizando' a arte, colocando letras legíveis e mandando pra vocês antes de todo mundo :) Quer relembrar o que aconteceu na história até agora? Leia o primeiro capítulo de Raquel aqui e o segundo aqui (mas aviso desde já: é uma história incompleta)


Fim de semana retrasado tive uma emocionante virose (leiam mais em meu blog: "diante do trono - ou como os evangélicos vão acabar me mandando pro Inferno sem escalas") e isso me zoneou todo, um ser desorganizado que arrendou o tempo livre pra mil atividades pessoais diferentes. Então, assim que fiquei melhor corri com a página acima de Raquel, espero que gostem, por que deu um trabalhão :P

Mentira. Deu trabalho sim, mas não foi tanto, eu é que tava baleado.
Mas essa página é meio que especial: ao contrário das outras, o texto dela nunca foi colocado na arte original. Foi legal reler meu garrancho, alterar e condensar meu texto enorme para caber nos balões e finalmente ver a página pronta depois de MAIS DE VINTE ANOS.
...essa página é velha, quando ela foi feita eu nem era nascido ainda. Acreditem em mim .-.


E a publicação dessa página é sinal de que meu estoque de páginas de Raquel está acabando. Tem só mais duas (páginas seis e sete) e a história vai encerrar abruptamente.
...até encontrei outra que poderia ser uma oitava página para esse capítulo (página incompleta e riscada), mas foi alarme falso: era só uma versão descartada da página.
E depois?
Não sei exatamente. Como está escrito lá em cima, Raquel teve vários reboots, isso é, recomecei a história do começo, melhorando aqui, mudando ali e seguindo um rumo diferente a partir de certo ponto. Queria muito postar estas versões aqui, mas tenho medo de que fique confuso e cansativo reler o que parece ser a mesma história várias vezes... e também quero retomar, recontando (de novo!) e finalmente seguindo até o fim.
Se é que Raquel tem um fim :P Eu imagino uma série de situações pra personagem, e gosto de histórias assim, um encadeado de fatos que você se segue, sem se preocupar em chegar....

Making of:

Raquel (fanzine #3), página 4


Transcrição:

(mulher): Não me surpreendo...
Mário: Mas eu sim! Aqui não é um setor "baixo demais" para pessoas de elite" como você?
(mulher): É. Mas recebi ordens de cima para instalar uma aluna nova neste setor. Este quarto só vai estar cheio no meio da semana, certo?
Mário: Sim. Uma aluna tymyze só chegará aqui quarta. ...se os eventos necessários não se atrasarem.
Mário: D-de um modo ou de outro, eu decidi conferir as condições do alojamento...
(mulher): E agora este quarto só tem uma ocupante, não?...
(mulher): ...eu espero que você tenha colocado ninguém em quarto errado...


A história até agora: Raquel é uma universitária normal que passou em universidade nenhuma, exceto na O.M.N.I., que ela não se lembra de ter feito prova para entrar. Curiosa, foi até lá e coisas estranhas começam a acontecer....

Pra quem chegou agora (e desmemoriados em geral): Raquel é uma personagem antiga minha, que teve fanzine, depois rebootei a série quando a moda eram HQs em flash, depois fiz mais dois outros reboots. Pretendo colocar todo esse material no site das tirinhas, mas esse é um trabalho lento e devagarzinho estou 'remasterizando' a arte, colocando letras legíveis e mandando pra vocês antes de todo mundo :) Quer relembrar o que aconteceu na história até agora? Leia o primeiro capítulo de Raquel aqui e o segundo aqui (mas aviso desde já: é uma história incompleta)


A conversa entre os funcionários da O.M.N.I. (Mário e Helena) cita "tymyzes", uma das espécies alienígenas que aparecem nas minhas tirinhas:


A própria Helena era pra ser uma, mas mudei de idéia =p

Acho curioso esse superpoder de autor: uma letra, e você muda o sexo de Roberta pra Roberta, se mudar de idéia, alguns cliques ou riscos no papel mudam a cor da pele, crenças mais profundas ou forma de falar. Também você pode dividir um personagem em dois diferentes, ou juntar vários em um só, destruir para sempre cenas importantes da vida dela.... E isso vale para personagens ("pessoas imaginárias"), mas para cidades, países, mundos, eras que só existem na cabeça da gente.
Autores são "deuses" dos seus personagens? Capaz de fazer TUDO com eles?

Bom, se eu tivesse esse nível de poder com minhas cria(çõe)s, eu os traria pra vida real e os faria trabalhar por mim. :PPP

Como isso é impossível, a resposta é não, autores não são "deuses" nem do que eles criam, a gente não é essa coca-cola toda não....


Colocando uma tirinha dos Malvados aqui para dizer que postei algo pertinente à vida real:



E estes dias andam exaustivos no serviço, intensamente exaustivos, e tive de me virar sozinho em casa por semanas, com cachorro idoso doente, então fiz bem pouco de artes e de cuidar dos meus dez trilhões de projetinhos na internet, tipo o blog. Praticamente só resenhei:
1) Black Silence, HQ de Mary Cagnin.
2) Homem Máquina, um gibi da Marvel que só comprei porque achei barato na banca.
3) Armada, livro de Ernest Cline.
Cliquem aqui para ler tudo :D

Making of:

Raquel (fanzine #3), página 3


Transcrição:

carta: Catarina.
Voltei para casa.
Desculpe não te esperar
Beijos
Raquel


(alguém): Agora é faxineiro, Mário?

A história até agora: Raquel é uma universitária normal que passou em universidade nenhuma, exceto na O.M.N.I., que ela não se lembra de ter feito prova para entrar. Curiosa, foi até lá e coisas estranhas começam a acontecer....

Pra quem chegou agora (e desmemoriados em geral): Raquel é uma personagem antiga minha, que teve fanzine, depois rebootei a série quando a moda eram HQs em flash, depois fiz mais dois outros reboots. Pretendo colocar todo esse material no site das tirinhas, mas esse é um trabalho lento e devagarzinho estou 'remasterizando' a arte, colocando letras legíveis e mandando pra vocês antes de todo mundo :) Quer relembrar o que aconteceu na história até agora? Leia o primeiro capítulo de Raquel aqui e o segundo aqui (mas aviso desde já: é uma história incompleta)

Lado depressivo de revisitar estas histórias antigas minhas: nunca fui grandes desenhistas, mas eu fazia esse trabalho bem melhor nos antigamente. E é divertido notar que Raquel, além de um livro de química, trouxe para a Universidade OMNI um livro de contos de H. P. Lovecraft. Para quem não conhece, esse americano (maluco, xenófobo, antisocial) escreveu contos de horror e suspense, onde o universo é habitado por monstros ancestrais que enlouquecem um ser humano só de estar perto deles. É tipo a vida real no ano de 2017.
Era um cara meio obscuro nos anos pré-internet, mas isso mudou com o tempo e boa parte de seus textos entraram em domínio público, e está bastante fácil encontrar coletâneas de seus contos nas livrarias do país - quando eu fiz Raquel, ele só tinha sido publicado pela editora Francisco Alves (a mais antiga do país!) uns dez anos antes de eu desenhar estas páginas.

Sobre o bilhete que Mário deixou na mesa: o original estava me lápis bem apagadinho, provavelmente para procurar alguém com letra mais legível e feminina que a minha para escrever e ficar mais crível que foi a Raquel. Fiquei na dúvida se eu faria isso mesmo ou pegava uma fonte com cara de letra de menina e no fim achei melhor deixar como está no original ¯\_(ツ)_/¯

A DC Comics, editora lar do Super-Homem, Batman, Mulher Maravilha e outros, está publicando HQs com os velhos personagens da Hanna Barbera repaginados. Algumas experiências parecem interessantes (tipo um crossover com a maioria dos super-heróis da editora, tipo Herculóides com Space Ghost com Os Impossíveis), outras fedem de tão toscas (Corrida Maluca transformada num clone de Mad Max) e recentemente surgiu a notícia de que o Leão da Montanha ("saída, pela esquerda") será um personagem "dramaturgo gótico gay sulista" em uma HQ própria. Aposto que muita gente deve ter chiado por causa do "gay", pra mim indifere: a maioria desses personagens são amplos o suficiente pra caber praticamente qualquer adjetivo neles.
Mas não é isso que queria falar, é que soltaram uma página da tal HQ (nota: achei a arte estranha) dele conversando com o Bobby Filho, em que o personagem diz coisas que levo para a vida faz tempo:


se o texto estiver esquisito, culpem o tradutor: eu) (mas lembrem-se que o LdM falava todo empolado :P

Fiquei tentado a fazer um textão falando as opiniões do meu umbigo sobre cada um dos pontos levantados numa página de gibi estrelada por animais falantes da minha infância - todos eles me pareceram relevantes - mas só vou destacar um: não se entra em batalhas para vencer, se entra por que tem de se lutar.

Tem tanto a ser feito. E a vida é curta.

(só prestem atenção para não estar no lado errado da luta, tá?)

E essa semana, no meu blog, atualizei meu site de carrinhos de brinquedo (não, isso não é uma luta a ser lutada, é um sonho recorrente que tive uma época :P) e também resenhei
1) Magias e Barbaridades, HQ de Fábio Cicone.
2) Don Drácula, um mangá de Osamu Tezuka, que virou um anime que passava no programa da Xuxa na extinta TV Manchete (nesses momentos as pessoas denunciam a idade)
3) Laputa, ou Castelo no Céu, um anime de Hayao Miyazaki.
Cliquem aqui ou na imagem acima para ler tudo :D

Making of:

Raquel (fanzine #3), página 2

A história até agora: Raquel é uma universitária normal que passou em universidade nenhuma, exceto na O.M.N.I., que ela não se lembra de ter feito prova para entrar. Curiosa, foi até lá e coisas estranhas começam a acontecer....

Ok, não aconteceu muito aqui, mas páginas mudas são necessárias às vezes X) Para os menos atentos, 539 é o número do quarto de Raquel.... ;)

Pra quem chegou agora (e desmemoriados em geral): Raquel é uma personagem antiga minha, que teve fanzine, depois rebootei a série quando a moda eram HQs em flash, depois fiz mais dois outros reboots (sendo que um morreu por que fiz a burrice de chamar desenhista sem compromisso algum além do umbigo dele).
Estou disposto a colocar todo esse material no site das tirinhas, mas está sendo um trabalho devagar: a primeira versão, que saiu em fanzines (revista amadora, geralmente 'impressa' em xerox), tem arte muito suja e na minha medonha letra manuscrita. Devagarzinho estou 'remasterizando' a arte, colocando letras legíveis e mandando pra vocês antes de todo mundo :)
Quer relembrar? Leia o primeiro capítulo de Raquel aqui e o segundo aqui (mas aviso desde já: é uma história incompleta)

E mais uma semana se passou, e o que fizemos dela? Você se lembra o que almoçou? Por que tanta gente vive dias tão corridos, com pressa de chegar no sofá para assistir Faustão e Sílvio Santos?
A gente tem uma ilusão besta de que "quando tiver tempo fazeri coisas legais", aí chegam as férias e já acabaram as férias???

Não, não estou querendo abrir discussão sobre uso alheio do tempo :P

É que há algum tempo fiz uma organização pessoal que até que funcionou razoavelmente, estava dando continuidade ininterrupta a projetos em andamento e cuidando/triando/conservando de coisas antigas que precisam sair da minha frente para poder andar. Noutras palavras, tava tocando o presente e o passado, e esses por si só me deixaram imerso em coisas para fazer quando não estava trabalhando, dormindo ou namorando (não, eu não almoço nem tomo banho)


(alguém aqui leu/lê Saga? Lá tem a Gata da Mentira, um animal que fala "mentira!" quando ouve uma)

Falando sério: eu tomo banho sim (pode ver, eu não fechei a boca da gata) :P E, aos poucos, vi que estava fazendo tudo, menos CRIAR, que demanda tempo, energia e, sob certo ponto de vista, é cuidar do futuro. E dei um breque nessa organização de tempo, inverti a ordem de tudo e... parece que voltei a criar (to com um conto faltando só um elemento pra justificar o fim). Mas também parece que desacelerei a parte de dar conta do 'presente' e 'passado'.

A vida é dormir com um cobertor curto. =_=

Mudando de assunto, Mário (o personagem da página acima) (não me lembro se já foi chamado pelo nome) visualmente me lembra uma das maiores pragas modernas que chamo de 'o engravatado'. O engravatado é o cara que representa o dono da grana que sustenta uma empresa, geralmente de entretenimento, mas que não manja do que a empresa faz - nem se interessa em saber - só quer ver o dinheiro render pra agradar o chefe.
Filme prometia muito no trailler mas saiu todo errado? Provavelmente vários engravatados meteram o dedão lá alterando enredo ou colocando gente incompetente em locais chave. Empresa anda mais preocupada em mudar o logo e/ou nome do que cuidar da atividade fim? Aposto que tem engravatado em processo de pânico sob orientação do guru do momento. Franquia mudou para tentar conseguir fãs novos, sem se preocupar com os antigos e acabou perdendo ambos? Então....

E acho que falei demais de novo XD

INTERVALO COMERCIAL

Um conto meu foi lançado em ebook na Amazon pela editora Draco, comprem, nem precisam ler :) Vejam aqui ~> http://www.amazon.com.br/dp/B01CRC3GHW/
Ele é baratinho (R$2,99!) e dá para ler no kindle e em celulares/tablets/computadores que tem o aplicativo da amazon (que é gratuito). Para quem quiser ver os outros contos da coleção: http://editoradraco.com/?s=monstros+gigantes

Making of:

Raquel (fanzine #2), página 10

Para ler as páginas anteriores de Raquel, cliquem na imagem à direita --->

Quando desenho algo e quero caprichar, procuro imagens na internet como referência (e tenho medo que um dia o FBI baixe em casa quando começo a procurar demais por "meninas de 8 anos" ou "prédio implodindo") e então desenho. Só que a página anterior foi feita em anos pré-internet, sem mordomias, e como eu queria desenhar uma barata direitinho, tive de esperar aparecer o cadáver de uma no quintal.........
O que não fazemos pela arte?

Falando em baratas, os canos no alto dessa página foram inspiradas numa HQ do personagem Niquel Náusea, protagonista de uma série de tirinhas (ele é um rato, que volta e meia contracena com Fliti, uma barata). Criação do Fernando Gonsales, as tirinhas são publicadas desde os anos 80 e acho incrível mesmo numa temática tão restrita (animais e afins, ocasionalmente nada disso) a produção continue criativa e ainda engraçada :) Ele tem um site oficial bem ruinzinho, http://www.niquel.com.br/, mas nesse site achei uma seleção maior e melhor das tiras: http://deposito-de-tirinhas.tumblr.com/tagged/Fernando-Gonsales
Transcrição:
?
Ah, é você...

Making of:

Raquel (fanzine #1), página 2

Para quem não leu a primeira página, role o site pra baixo um pouquinho só ;) E, organizando meus papéis, descobri que o segundo fanzine Área foi feito inteiro (sempre lembrava que eram só as primeiras partes)(agora não me lembro se xeroquei e distribuí), então terei mais páginas de Raquel pra publicar e terei de fazer mais scans e correções do que planejava :PP

P.S: ontem postei no Wattpad o segundo capítulo de "Cia. de Asas", para quem quiser checar a história, cliquem aqui. Mas não esperem muito, sou relapso nesse tipo de postagem :| Para os mais apressados, tem três contos meus lá também: A Princesa e a Sombra, Xmas 2.0 e (Também quero), todas bem mais humoradas que Cia. de Asas.

AVISO: "site atualizado às terças e sextas, caso tenha novidades :P"

Se quiserem ler as tiras em inglês, algumas estão no DeviantArt ~> clique aqui!. Uma amiga está fazendo o trabalho e, se alguém precisar de serviços de tradutora, m'avisem que passo o contato dela =)
As últimas que foram ao ar são: 57 - Some days we just can't cheer our friends up =/ e 58 - Right Ear = the nice things. Left Ear = the bad things (2). Em português você as acha aqui: Falar dos Outros

Ei, quer receber as tiras por e-mail? Me avise: mushisanarrobayahoopontocom sem "br".

Transcrição:
"(Sono! Não dormi nada!)"
"Lasciate ogni speranza, voi ch'entrate!"*
"Agora não tem mais volta"
"que venha o primeiro fantasma"
"Ei! Vocês são Cláudio Ferreira, Raquel Cortez e Luís Santos? Sou da Universidade O.M.N.I. e vim buscá-los. Entrem!"
"Buuu!"
*Inscrição na porta do Inferno, de Dante: Deixai toda a esperança, vós que entrais"

Making of:

1

Find recent content on the main index or look in the archives to find all content.